A Semelhança do Reino

16/09/2013 09:24

 

Um rei no dia do casamento de seu filho, manda seus servos nas casas dos convidados para trazê-los, mas um a um vão se negando a ir. Assim começa a parábola de Jesus sobre a semelhança do reino de Deus. Este texto encontra-se no livro de Mateus no capítulo vinte e dois.

Estes primeiros convidados foram distinguidos com honra, pois foram lembrados primeiro, tiveram muito tempo para se aprontarem, mas não fizeram caso do convite do rei.

Não se despreza convite de rei, a menos que estejamos aborrecidos com ele e queiramos demonstrar nosso aborrecimento, no entanto teremos que arcar com as consequências do desprezo, afinal todo o rei é forte.

Os convidados foram honrados duas vezes, na primeira pelo convite, na segunda por terem sido buscados em casa. Além disso, a busca em casa é repetida por outros servos enviados pelo rei. A festa já estava pronta, jantar, bois e cevados mortos, uma festança, grandiosa, rica, farta – festa de rei – que não era para ser desprezada. Estes convidados viram as costas para os servos que foram buscá-los e ainda matam alguns por se sentirem incomodados pelo convite do monarca. Um rei irado envia seus exércitos e destrói estes que se lançaram contra ele. O rei mata quem mata.

A festa está pronta, mas não tem convidados, o quê fazer? Os convidados eram indignos, a festa não será cancelada por conta disso, o casamento está marcado e ele não será cancelado. Outros convidados de menor dignidade que os primeiros vão ser chamados à festa.

Os servos do rei saem pelos caminhos, seguindo as ordens que lhes foram dadas e trazem para festa todos que encontram, tanto maus como bons; e a festa de casamento foi cheia de convidados. Mas entre estes o rei vê um que não estava vestido condignamente, não tinha vestes de núpcias, ele é colocado para fora da festa e lançado nas trevas exteriores, onde haverá choro e ranger de dentes.

Uma parábola de Jesus sabemos que é a comparação com o que sabemos para entendermos  o que não sabemos. Nesta, Jesus mostra o valor do reino, o desprezo dado por quem é chamado primeiro. Na parábola se percebe com clareza que o acesso ao reino é aberto a muitos, não, porém a todos, e que tudo é feito por Deus que chama; a festa, o convite, o transporte – o rei trata de tudo.

O convite aos últimos é de surpresa, não lhes fora feito com antecedência como aos primeiros, mas é exigido deles que estivessem vestidos com roupas de núpcias. O rei Jesus que convida prepara e disponibiliza as roupas de justiça para cada convidado ao reino dos céus, quem despreza as vestes será retirado da festa sem nenhum poder de argumentação. Não é porque foi chamado é que faz parte do reino, tem que ter as vestes de justiça.

E Jesus conclui dizendo: Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

Todo texto encontra-se em, Mateus 22: 1 -14.

1Jesus lhes falou novamente por parábolas, dizendo:

2 O Reino dos céus é como um rei que preparou um banquete de casamento para seu filho.

3 Enviou seus servos aos que tinham sido convidados para o banquete, dizendo-lhes que viessem; mas eles não quiseram vir.

4 De novo enviou outros servos e disse: Digam aos que foram convidados que preparei meu banquete: meus bois e meus novilhos gordos foram abatidos, e tudo está preparado. Venham para o banquete de casamento!

5 Mas eles não lhes deram atenção e saíram, um para o seu campo, outro para os seus negócios.

6 Os restantes, agarrando os servos, maltrataram-nos e os mataram.

7 O rei ficou irado e, enviando o seu exército, destruiu aqueles assassinos e queimou a cidade deles.

8 Então disse a seus servos: O banquete de casamento está pronto, mas os meus convidados não eram dignos.

9 Vão às esquinas e convidem para o banquete todos os que vocês encontrarem.

10 Então os servos saíram para as ruas e reuniram todas as pessoas que puderam encontrar gente boa e gente má, e a sala do banquete de casamento ficou cheia de convidados.

11 Mas, quando o rei entrou para ver os convidados, notou ali um homem que não estava usando veste nupcial.

12 E lhe perguntou:  Amigo, como você entrou aqui sem veste nupcial? O homem emudeceu.

13 Então o rei disse aos que serviam: Amarrem-lhe as mãos e os pés, e lancem-no para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.

14 Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos.