Parábola dos talentos

09/10/2013 07:04

Mateus 25:14 Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens.

 

Mateus 25:15 A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e, então, partiu.

 

Mateus 25:16 O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco.

 

Mateus 25:17 Do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.

 

Mateus 25:18 Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor.

 

Mateus 25:19 Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles.

 

Mateus 25:20 Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo: Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei.

 

Mateus 25:21 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

 

Mateus 25:22 E, aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me confiaste; aqui tens outros dois que ganhei.

 

Mateus 25:23 Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

 

Mateus 25:24 Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste,

 

Mateus 25:25 receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

 

Mateus 25:26 Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

 

Mateus 25:27 Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.

 

Mateus 25:28 Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.

 

Mateus 25:29 Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.

 

Mateus 25:30 E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.

Cinco talentos pra um, dois pra outro e um talento é dado ao último dos servos, estes valores são distribuídos para que eles negociassem para seu senhor. Os talentos não são dados para que se fizessem uma coisa qualquer, mas sim que se multiplicassem para o patrão.

O que o Senhor Jesus dá aos seus servos, não é nada acima de suas possibilidades, é dado a cada um segundo a capacidade deles.

O talento é a obra que a nós é dada de acordo com o que está escrito em Efésios dois dez, obras boas preparadas de antemão pelo Pai, para que andássemos nelas. O Senhor espera que a obra seja feita por quem a recebe, caso contrário ela é transferida com tudo para um servo fiel.

Ao negociar os talentos fazemos por obrigação, porque temos um Senhor, mas há um pagamento acima das medidas, este Senhor é gracioso e recompensa os servos fiéis. Entrar no “gozo de seu senhor”, é participar mais particularmente da comunhão de Jesus, é ter o que Ele tem, e ser o que Ele é, (Mateus 19: 28 e 29).

Enquanto um enterra o que não lhe pertence, e vai tratar da vida que ele tem, mas que também não lhe pertence (um servo não é dono de nada), outros perdem a vida que não lhes pertenciam para tratar dos talentos de seu senhor, são recompensados com cem por cento do que não era deles.

Um talento é valor muito alto para o servo, mas para o Senhor é pouco, no entanto este talento não será desprezado por Ele. O servo fiel recebe algo de muito mais valor que os valores iniciais.

E que se saiba que o servo fiel estará sempre ganhando mais talentos dos infiéis. Quem despreza o Senhor será desprezado por Ele para onde há choro e ranger de dentes.

Ao observarmos as palavras de Jesus a partir de Mateus 24: 32 até 25: 30.

Vemos o Senhor tratando de vigilância, isto é, indicando aos discípulos para que vigiassem tanto por aquilo que haviam recebido, como pela vinda do Senhor. O filho de Deus recebe dele tudo necessário a vida e a santidade para servir ao seu Senhor.

O filho de Deus precisa ter algo de Deus. Se ele é um servo constituído sobre a casa de Deus, necessita receber Dele a ração para alimentar a casa de Deus. Se ele espera o seu Senhor não pode nunca, jamais faltar azeite em sua lâmpada, ela tem que se manter acesa em todo o tempo, sua luz sempre tem que brilhar. É um servo que recebe talentos para negociar com eles.

O filho de Deus é chamado e despertado por Jesus a fim de valorizar aquilo que recebe de seu Senhor. Em todas estas parábolas o que é visto é que, não sabemos a que hora o Senhor virá.

O infiel da ração foi lançado no inferno – Mateus 24: 51 

As cinco virgens insensatas tiveram o mesmo fim – Mateus 25: 12

O servo mal e negligente foi para o mesmo lugar – Mateus 25: 30

Todos eles eram comprometidos com o Senhor, todos eles tinham recebido algo do Senhor, mesmo assim pelo desprezo a Jesus, o Filho amado e Bendito de Deus, foram lançados no inferno.