Tratamento aos servos

23/12/2013 12:11

Nesta parábola nos são apresentados quatro tipos de servos, neles vemos o comportamento de todos os crentes que são responsáveis pela alimentação do rebanho.

E disse-lhe Pedro: Senhor, dizes essa parábola a nós, ou também a todos?

E disse o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.

Em verdade vos digo que sobre todos os seus bens o porá.

Mas, se aquele servo disser em seu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e criadas, e a comer, e a beber, e a embriagar-se,

Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera, e numa hora que ele não sabe, e separá-lo-á, e lhe dará a sua parte com os infiéis.

E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites;

Mas o que a não soube, e fez coisas dignas de açoites, com poucos açoites será castigado. E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.

Lucas 12:41-48

O primeiro servo é fiel e prudente, de prêmio pela sua fidelidade recebe uma mesa preparada pelo seu senhor e é colocado sobre todos os seus bens na terra – os mansos herdarão a terra, palavras de Jesus em Mateus cinco no sermão do monte. Já do segundo ao quarto servo vemos displicência, ligada fortemente a incredulidade do poder de Deus e desconhecimento da Palavra.

Dizer no seu coração, meu senhor tarda em vir, é pregar para si mesmo uma mensagem de morte que o Senhor não pregou. Quem falou que Jesus tarda em vir? Se Ele falou para seus discípulos daquela geração que alguns deles não morreriam sem que vissem o reino de Deus (Lucas 9:27), e sobre João disse; ”se eu quero que ele fique até que eu venha”.

“Virá o senhor daquele servo no dia em que o não espera”. Para quando esperamos Jesus? Ou no fim do mundo, ou no dia da nossa morte, mas a palavra aqui é que ele virá num dia diferente desses.

Se o servo colocar no seu coração que o Senhor Jesus tarda em vir, começará a viver por sua própria conta e será surpreendido pela vinda do Senhor Jesus – Há um dia para aquele servo infiel, e aquele dia não será o seu último dia de vida, mas ele não compartilhará mais com os servos fiéis e sim com os infiéis.

Se a recompensa boa começa a ser distribuída na terra, a recompensa má não é diferente, sentar a mesa e ser servido pelo Senhor, é tão certo como receber dele o tratamento com os infiéis.