Alimentado por Deus

17/08/2013 14:14

O Senhor não deixa o justo passar fome.

Provérbios 10:3

 

Para entender esta afirmativa de Deus é necessário entender inicialmente o que é um justo.

Um Justo é um cumpridor da justiça de Deus. Um justo é um justificado pela obediência de toda a justiça de Deus realizada por um homem chamado Jesus. Um justo é aquele que tem um Jesus vivo que intercede por ele a Deus, a fim de justifica-lo. Um justo é aquele que não somente recebe a justiça de Jesus o Senhor, mas também realiza toda a justiça de Deus. Um justo não espera de si, mas ele sabe quem realiza tudo nele. Um justo crê.

O Senhor não deixa o justo passar fome, seja mandando-o sair do lugar da fome, ou alimentando-o na fome. Além disso, Jesus diz aos seus discípulos para não estarem ansiosos pelo que comer ou pelo que vestir, pois Deus alimenta as aves do céu, não deixará, portanto seus filhos passarem fome.

No primeiro livro de Reis, o profeta Elias traz uma sentença de condenação do juiz de toda terra, que dizia que não haveria chuva, e não choveu sobre a terra de Israel e as circunvizinhas por três anos e meio. Neste livro, no capítulo dezessete Deus dá ordem a Elias para que fosse para as margens do riacho de Querite que o alimentaria com pão e carne de manhã e de noite,  que os corvos trariam para ele, e beberia da água daquele rio. O Ribeiro secou e Deus dá uma segunda ordem ao profeta; agora vai para Serepta de Sidon que ordenei uma viúva para que te sustente. A viúva era paupérrima, com um punhadinho somente de farinha e um pouco de azeite, que iria comer junto com seu filho aquela última refeição, pois não tinha mais esperança. O azeite e a farinha são fornecidos milagrosamente durante todo o tempo restante daquela seca, ela seu filho e Elias são sustentados ali.

Tanto o primeiro momento quanto segundo, são absurdos aos nossos olhos, coisas impossíveis de acontecerem que só mesmo os crentes para crerem nisso, mas Deus é Deus dos crentes e dos impossíveis. Uma viúva sustentar com o que não tinha, e corvos que não plantam, e não ajuntam em celeiros trabalham para Deus, trazendo de alguém e de algum lugar, todo dia e duas vezes nesse dia, pão e carne para aquele justo.

O Senhor não deixa o justo passar fome, mandando-o sair dali, para que a fome não o alcance. Não só com Elias vem a ordem de Deus para que ele saísse, mas seu sucessor, Elizeu vai usar da revelação de Deus para impedir que a fome vitimasse uma família, II Reis 8:1 “E falou Eizeu àquela mulher cujo filho ele ressuscitara, dizendo: levanta-te e vai, tu e tua família, e peregrina onde puderes peregrinar; porque o Senhor chamou a fome, a qual também virá sobre a terra por sete anos”.

O que tem de comum entre todos estes homens e mulheres é a fé que Deus lhes tinha dado para crerem na palavra, mesmo estando fora do alcance dos olhos, tanto o bem que seria feito ou o mal que estava por vir. O Justo crê isso faz a diferença. Quem crê vê o que não está ainda diante dos olhos, isso também faz diferença. O justo espera de Deus a resposta e a direção. O justo obedece a ordem do seu Senhor.